A revolução da biotecnologia

laboratorio

Muito se diz sobre a biotecnologia e você com certeza já ouviu falar dela. Está nas mídias sociais, nas televisões, nas revistas e etc., mas, o que você sabe sobre ela? De onde surgiu, o que especificamente é e como e porquê conquistou e revolucionou o mercado global?

 

Biotecnologia clássica x Biotecnologia moderna

Primeiramente, é necessário ter em mente que biotecnologia não é um processo novo. Ela já existe há muitos e muitos anos (para ser mais exato, há 6000 anos a.C.), para a confecção da tão amada e famosa cerveja. Para este período, chamamos de biotecnologia clássica.

Após isso, a aplicação de microrganismos para obtenção de outro produto – definição mais simples do que é a Biotecnologia – passou a ser incorporada a outros processos, como a fabricação de queijos, pães e outros produtos.

Muitos milhares de anos depois, um famoso cientista chamado Louis Pasteur (Você com certeza já ouviu falar dele ou de algo como “Leite Pasteurizado”) inicia um desenvolvimento científico que mudaria para sempre os rumos da biotecnologia, observando que a fermentação se dava por microrganismos.

Então, o que perdurou milênios sem muito conhecimento acumulado passou a ser estudado e pesquisado com muito mais intensidade, tamanha a importância das descobertas que se antecederam e o potencial revolucionário que teria a biotecnologia para o futuro.

Entramos aí na era da biotecnologia moderna, desenvolvida a partir da segunda metade do século XIX. Utilizando a definição da UNESCO, podemos conceituar biotecnologia moderna como “termo dado para o uso de plantas, animais, micro-organismos e processos biológicos para atingir avanços nas áreas da indústria, medicina e agricultura.”

A biotecnologia moderna une diversas áreas do saber, mas principalmente a engenharia genética nos anos 1970, pois esta permitiu o melhoramento, combinação e criação das moléculas que servem de insumo para a revolução biotecnológica.

A biotecnologia pode ser aplicada em diversas áreas da indústria, possibilitando um ganho exponencial de qualidade e eficácia econômica e ambiental para todos os atores envolvidos.

Eis as áreas industriais mais comuns de se empregar biotecnologia:

  • Farmacêutica

Vislumbra-se para o futuro uma diminuição dos custos dos fármacos, além de aumentar o grau de eficiência nos tratamentos de doenças genéticas;

  • Alimentícia

Por intermédio da fermentação, consegue-se produzir os mais variados tipos de queijos, pães, vinhos e outras bebidas alcóolicas, além de iogurte e outros lacticínios.

Além disso, muita atenção vem sendo dada aos alimentos biofortificados. A função destes é diminuir a desnutrição, que infelizmente, ainda é um problema que assola o nosso imenso país, ainda que este conte com uma biodiversidade incrível, disponibilidade hídrica como pouco se vê no mundo e um território continental com um dos climas mais propícios do planeta para a plantação.

  • Agricultura

Busca-se aumentar a produtividade e qualidade das safras a partir recombinações genéticas, fazendo com que os novos organismos sejam mais resistentes a doenças, pragas e até mesmo às mudanças climáticas.

Além disso, pode-se garantir maior segurança alimentar ao se apresentar uma alternativa natural e biológica aos insumos químicos dos agrotóxicos.

  • Pecuária

Os produtores tem diversas opções no mercado para viabilizar a produção de acordo com as demandas do mercado, selecionando os melhores genes para que seu potencial retorno financeiro seja cada vez maior e com mais frequência.

Algumas dessas ferramentas dizem respeito a clonagem, desenvolvimento de vacinas e tratamentos para o rebanho elevando sua produção em conjunto com sua saúde.

  • Mineração

Aqui, obrigatoriamente temos que falar da biolixiviação. Este procedimento fantástico diz respeito a tecnologia que emprega a biotecnologia na recuperação de metais valiosos que estão presentes em resíduos eletrônicos, sucatas, rejeitos de minas e afins.

Muito usada em minas de cobre, cobalto e ouro, estima-se que em algumas plantas de mineração a recuperação desse metal chega a patamares de 90%!

  • Energética

A bioenergia é um dos principais candidatos para a tão necessária transição energética global.

Juntamente com outras fontes de energias renováveis de menos impacto socioambiental, como a solar e a eólica, a biomassa terá papel fundamental na atenuação dos danos ambientais provenientes das atividades humanas.

E o melhor de tudo: é uma alternativa barata e acessível a quase todos, pois conta com uma matéria prima muitas vezes desprezada, como o bagaço da cana-de-açúcar ou outros resíduos agrícolas.

Além disso, pode-se incentivar o reflorestamento e sistemas agroflorestais para a produção de biocombustível, promovendo o manejo sustentável da biota e a preservação do meio ambiente.

Podemos fazer uma ligação direta entre biotecnologia e desenvolvimento sustentável, ao passo que as novas tecnologias desenvolvidas com insumos naturais de baixo impacto ambiental prometem manter o desenvolvimento econômico e atenuar nossos danos ao meio ambiente.

A Biotecnologia em números

A biotecnologia hoje é um mercado em franca expansão a nível mundial, com alta empregabilidade e suntuosos montantes de investimentos.

O Brasil conta atualmente com cerca de 155 empresas no setor de biotecnologia, colocando o país entre os 20 que mais possuem empresas no ramo; ainda assim, se comparado com os Estados Unidos (11.367 empresas), por exemplo, é um número extremamente baixo.

Ainda assim, o Brasil figura no ranking mundial em ótima posição (5º lugar) dentre os países que mais geram empregos no setor. Ou seja, ainda que com um número “reduzido” de empresas, o Brasil emprega milhares de pessoas na indústria da biotecnologia e tem potencial para desenvolver exponencialmente esse mercado.

Com o otimismo do mercado e o avanço do desenvolvimento tecnológico e das pesquisas, estima-se que mais de 90 bilhões de reais sejam angariados pelo setor até 2023, já representando cerca e 3% do PIB nacional.

A biotecnologia tem um jovem histórico ainda no país, com poucos anos de profissão regulamentada e ainda um baixo investimento em P&D, entretanto, quem quer imaginar um futuro esperançoso de dias melhores, deve necessariamente olhar para biotecnológica com mais carinho e atenção.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *